O investimento em tecnologia asfáltica minimiza custos e aumenta a vida útil dos pavimentos nas pistas de pouso, adiando as ações corretivas, gerando maior economia para o contratante. Além de muitas vezes mais onerosos, os serviços corretivos ainda atrapalham operacionalmente o funcionamento dos aeroportos, sendo necessário cancelar diversos vôos para que eles sejam executados. Eles podem durar meses. Já os serviços preventivos duram, em média, poucas semanas.

“Nossa missão é agregar tecnologia aos serviços. Assim, os clientes podem ter um custo racionalizado de seus investimentos”, explica um dos diretores da Geoplan, Paulo Bouwman.

Infraero (Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária), Comando da Aeronáutica, Secretarias de Transporte dos Estados e Grupos Privados fazem parte da gama de clientes atendidos pela Geoplan.

Toda excelência da empresa pernambucana vêm do vasto conhecimento de seus funcionários, sempre atualizados em suas áreas, e da qualidade dos produtos utilizados. Eles são importados diretamente de várias empresas internacionais em diversos países, detentores de tecnologia de ponta, que são estudadas e viabilizadas para utilização em nossa realidade.

Parceiros